Diário de lordsemideus

A felicidade verdadeira

Sexta-feira, 24 de Janeiro de 2020.

A felicidade verdadeira Público
Três anos de breves experiências e um profundo aprendizado. Li algumas coisas das quais eu escrevera e meditando sobre elas, pude olhar pela janela do tempo e ver que fora de mim, muita coisa mudou. Também dei uma boa olhada dentro desta casa, meu corpo. E fazendo analogias, veio-me a mente coisa vil, mas que para um estulto como eu, prazeroso é pensar.
A memória me contou, sim, tudo o que fiz. Disse-me e acusou-me de muitos delitos e pecados. Ora, verdadeiramente, não importa o quanto se sabe e o quanto se pode contar. Salvo o saber sobre a verdade e o falar sobre ela. No entanto, eu e minha memória sabemos que coisa demasiadamente difícil é segui-la. Pobre homem! É incrível o poder da estultice, em saber que se prefere os prazeres mas não a verdade sobre eles, sim! Mentimos quando dizemos não gostar! Mentimos quando nos negamos a ouvir e nos omitir por não querer abandonar, enganamo-nos a nós mesmos e nos culpamos. Eu percebi que, em quanto reclamava das coias, sentia alivio em falar.. e ao mesmo tempo fazia o que é mal. Pois minha vida não é nem de longe a pior dentre os homens.
Tive a percepção em relação aos pesares. Ah! muita coisa nos é pesado pelo fato de não nos anteciparmos em saber, mas quando o fazemos, somos pegos pelo mesmo saber. Visto que nem sempre queremos ouvir a verdade mas evitá-la. Percebe? Disse-me minha memória. E eu me rendi, sou ignorante.
Um dia eu quis ser sábio, procurei e no fim, achei-me em uma sala escura e fazia. No meu interior não havia nada, nem sonhos, nem esperança. Então, vi um mancebo e ele me disse: Sou aquele elogio da semana passada e também o animador, sou o que tem raiva e ainda o que é calmo. O que fala o mal e também o bem. O que mente e o que fala a verdade. Sou ainda ignorante e ao mesmo tempo sábio. Sou ainda outras coisas ou pelo menos, acho que sou. Então, lhe respondi, dizendo: Não és nada de tudo quando disse, mas seja humilde e admita. És a memória de mim mesmo. E então, disse-me ele: Só não o seria se tu mesmo tivesse a capacidade de não mais se lembrar. Ao que respondi: Se eu esquece-se, seria pego de surpresa por ti novamente. Pois quantas vezes já não me deparei contigo? Ora! Sei bem quem tu és!
Porém, lembrar-me-sei de ti como que no passado, como que morto. Visto que sei que sempre virá culpar-me pelas lembranças e que ainda no presente queres apresentar-te como inocente, para logo ser lembrado nas próximas memórias. Eu todavia, lembrar-me-ei da minha estultice e não escutarei seus conselhos, farei o possível. Hoje sou um novo homem, ainda que debilitado por minha culpas e pecados. Todavia, esperarei na verdade e tu... sim! Tu quem que vês! Sabe onde encontrá-la.
Ah! não. Não queres ver, olhas... Eu sei bem que um sábio não luta para mudar o mundo, para que ele mesmo não seja pego lutando contra Aquele que rege todas as coisas. E que a maior frustração que sentimos vem por querermos viver nossa própria história e não conseguir. Ora! não seja tolo, pois quem disse que a história é minha ou sua? Ou dele ou dela, ou mesmo da humanidade? Sim, tenho razão.
A historia é de Deus, ele a criou e a escreveu na eternidade. Pois está escrito: Poque DEle, por meio DEle e para Ele são todas as coisas. Até mesmo eu que agora, nesse meio tempo escrevo essas coisas. Como é bom olhar para cima, ao invés olhar para homens, pois que há nestes que não há também em mim? Somos homens! Choramos, sorrimos, envelhecemos e logo perecemos. Mas um dia nossa alma deixará este corpo. E para onde iremos? Bom, eu sei que a fé é a certeza de fatos que se não veem. E que fato? Sei que a história é de Deus e que Ele enviou seu Filho ao mundo, caminhou Deus aqui e falou aos homens. O próprio Deus disse que amou o mundo de tal maneira que enviou seu Filho Unigênito, para que todo Aquele que Nele crer, não pereça mas tenha vida eterna. Neste história Cristo morreu e ressuscitou, cumprindo ali, toda justiça Divina.
E sei bem que Cristo levou todos os meus pecados naquele dia. Eu não estava lá, ora, nem tinha nascido ainda. Mas como disse, ele ressuscitou e está a destra direita do Pai agora. E o mesmo Cristo Jesus disse: Em verdade, em verdade vos digo: Quem ouve a minha palavra e Crê Naquele que me enviou, tem a vida Eterna, não entrará em Juízo, mas passou da morte para a vida.


  [Voltar]  


Comentários

Comentários (0)




Para fazer comentários, realize o login.





 

Últimos Acessos


 

Destaque

    Twitter Facebook Orkut